Nossa,filho(a)! Como você é inteligente!

Muitos pais exclamam orgulhosos para os filhotes: Como você é inteligente!
Alguns contam para os parentes e para os amigos o quanto seu filho faz cálculos perfeitos ou aprende as coisas muito facilmente.
Estas situações são muito comuns quando a criança é pequena e começa a descobrir o mundo e os pais começam a descobrir os potenciais de seu filho(a).
A criança escuta e fica orgulhosa de seu próprio potencial! Isso é bom, SEM exagero!
O exagero acontece quando a criança escuta dos pais, da família e às vezes de amigos ou desconhecidos . E acaba acreditando que ele é muuuuuitooooo inteligente.
A pessoa inteligente, de acordo com nossa cultura, é aquele que sabe tudo! E é esta a interpretação que seu filho terá: que ele deve saber tudo!
TUDO???
Impossível, não podemos saber tudo!
Com toda esta vivência a criança passa a acreditar que precisa saber tudo, além de sentir o medo de frustrar seus pais quando não souber alguma coisa.
A criança entra na escola e começa a viver situações em que aprenderá com facilidade e outras nas quais apresentará dificuldades.
Na escola, ela necessita sair da passividade das informações prontas e precisa se esforçar para aprender!
No entanto, a criança não aprendeu o que é ser esforçado pois quando se sabe tudo não se faz esforço! Elogie seu filho (a), mas lembre – se que ser somente inteligente, pode não conduzi-lo ao sucesso. O ingrediente principal do sucesso é o esforço e a persistência.
Então ao elogiar diga: não desista, você é esforçado!
Que criança esforçada que eu tenho como filho! Amo e admiro você! Você é inteligente, mas precisa se esforçar!
Convença seu filho( a) que ele é esforçado e deixe a inteligência dele(a) fazer o papel dela na aprendizagem!
Pense nisso!

Bilhetes da família no caderno

Você acha que somente o professore deve escrever no caderno do seu filho elogiando e incentivando?

Você também pode fazer isso! E as crianças amam pois se sentem valorizadas!

Escreva para seu filho que ele está melhorando! Que sua letra está mais bonita! Que ele é capaz e que você ama seu progresso! Faça ele perceber que você está prestando atenção naquilo que ele consegue fazer!

Reconhecer seus pequenos progressos contribui para que a criança se esforce e tente melhorar em outras situações de desafio.

O que seu filho(a) mais deseja é que você o ame!

A demonstrar este amor no caderno escolar através de um bilhete, você também está ensinando que seu aprende é importante! Além de ensinar que você o admira quando há esforço nos desafios escolares. Estas atitudes o incentivarão a aprender mais e melhor!

Seja presente na vida de seu filho (a).

Ele precisa de você!

Cuidado com o chapéu de “burro”

Antigamente, o chapéu de “burro” era utilizado como forma de punição das crianças que não aprendiam ou tinham dificuldades escolares. Hoje, esta prática não é utilizada, no entanto algumas famílias continuam a se referir às crianças desta forma.

Colocam um chapéu invisível, porém visível ao coração!

Xingar a criança ou jovem de burro ou alegar que não vai ser nada pois não consegue aprender, são formas de convencê-lo desta mentira. Estas atitude propiciam o aumento das dificuldades escolares e de aprendizado de vida.

Tenha certeza de que ele vai acreditar em você!

Então convença-o de aspectos positivos e de sua capacidade em superar desafios e de fazer dar certo!

O aprendizado escolar depende, também, de autoconfiança! Mas para que ele desenvolva esta capacidade precisa que tanto a família quanto o profissional façam elogios quando houver conquistas!

Não coloque o chapéu!

Cris Sousa

Você sabe o que é a Síndrome de Írlen

A síndrome de Írlen é  uma disfunção perceptual e dificuldade no processamento visual. Trata-se de uma alteração que não envolve diretamente a acuidade visual, mas sim uma alteração no processamento das informações oriundas do sistema visual por parte do Sistema Nervoso Central.

O Hospital de Olhos Dr. Ricardo Guimarães, por meio de sua Fundação, tem por objetivo conscientizar o educador sobre as alterações relacionadas ao processamento visual e auxiliar, com  parcerias firmadas com escolas e instituições de apoio, crianças e adultos com este tipo de dificuldade. Como parte deste trabalho são capacitados profissionais das áreas de educação e saúde vpor meio de cursos exclusivos de formação, a realizarem uma triagem dos portadores destas dificuldades. 

CARTILHA SOBRE SÍNDROME DE ÍRLEN – HOLHOS CLICK AQUI

CLICK AQUI – FOLDER DE EXPLICAÇÃO DA SÍNDROME DE ÍRLEN

 

 

 

 

Desenvolvimento da linguagem de 0 a 5 anos

O Conselho Regional de Fonoaudiologia da 6º Região ( www.crefono6.org.br ) propõe a seguinte escala para nortear o desenvolvimento da linguagem infantil. (Adaptação)

1 a 3 meses – Utiliza as variações na entonação do choro e dos sons emitidos como meios básicos de comunicação.

4 a 6 meses-  Emite sons como se conversasse e imitando sua voz. Grita e presta muita atenção quando as pessoas falam, tentando imitá-las.

7 a 11 meses- Repete palavras simples e emite sons. Gesticula com palmas e dá “thau”.

12 meses- Fala as primeiras palavras. Identifica o próprio nome  quando é chamada. Entende ordens simples como “mandar beijos” e “bater palmas”.

18 meses- Consegue formar frases curtas de 2 ou 3 palavras.

2 anos- Tem cerca de 300 palavras em seu vocabulário. Compreende e emite frases simples. Pergunta nomes e funções.

3 anos- É possível entender o que a criança fala, mas apresenta erros gramaticais.

4 anos-  Inventa histórias. Entende regras e jogos simples.

5 anos- Fala frases completas corretamente e emite corretamente os sons da língua.

CANTINHO DA LEITURA

SETE HÁBITOS DAS CRIANÇAS FELIZES É UM LIVRO PARA PAIS E ESCOLAS QUE SE PREOCUPAM COM O DESENVOLVIMENTO INFANTIL.

 Os “Sete Hábitos das Crianças Felizes” de Sean Covey propõe  7 estórias que possibilitam a reflexão sobre hábitos para que a vida seja divertida. Neste livro o autor  ensina de forma lúdica a importância de ser responsável, de ouvir os outros com atenção, na dedicação aos estudos e aos deveres, propõe também atividades de reflexão para serem realizadas  nas escolas e em família. É um livro maravilhoso que pode ser utilizado pelas escolas por propor textos que podem promover debates com foco na construção do autoconhecimento e respeito a si e aos outros.