O que fazer para as memórias de aprendizado durarem?

Ninguém está imune as armadilhas do esquecimento. Os alunos, muitas vezes, não conseguem bons resultados por não conhecerem técnicas de estudo eficientes. Neste sentido, apresentamos 10 técnicas citadas por Hockenbury, Hockenbury (2003)  para melhorar a sua memória e a de seus alunos.

  1. Focalize a atenção- Os problemas em absorver novas informações surgem quando sua atenção é desviada para outros pensamentos, barulhos. A televisão é um dos culpados.
  2. Comprometa-se a utilizar o tempo necessário – Quanto mais tempo você passar estudando, melhor será o seu entendimento do assunto e você se lembrará por mais tempo. Dedique tempo para ler o texto suficientemente para ler o texto cuidadosamente.
  3. Distribua suas sessões de estudo– A prática de distribuição significa que você aprende em várias sessões de estudo, o que lhe dá tempo para promover e incorporar mentalmente as informações. Os estudantes que utilizam a abordagem de distribuição de aprendizagem retém, de forma significativa, mais informações que os estudantes que apenas se preparam apressadamente para os exames ou estudam intensivamente um dia antes. Estudar a noite inteira para realizar a prova  pela manhã é a forma menos eficaz de se aprender novos assuntos.
  4. Organizar as informações– Temos uma tendência natural para organizar informações na memória de longo prazo em categorias. Você pode tirar vantagem dessa tendência organizando a informação que deseja lembrar. Resuma os capítulos ou as anotações da aula. Use títulos e subtítulos como categorias ou crie as suas próprias categorias. Para cada uma dela faça uma lista e descreva os conceitos, definições e ideias. Esta estratégia pode duplicar a quantidade de informação retida na memória.
  5. Elabore material– Você pode perceber que cada texto ou conceito desse texto é formalmente definido em uma ou duas sentenças, Mas também colocamos um parágrafo para lembrar-lhe do conceito. Envolva-se em um ensaio elaborado e ativamente processando as informações em significados. Relacione o que está aprendendo a exemplos de sua própria vida. Reaja aquilo que lê, escrevendo comentários ou suas perguntas na margem do texto. Escreva sentenças, utilizando o termo ou o conceito de forma precisa.
  6. Utilize imagens visuais– Dois códigos de memória são melhores que um. Utilize ilustrações ou sublinhe conceitos com canetas coloridas.
  7. Explique a um amigo– Após compreender o que leu o que estudou explique a um amigo ou a um parente. As pesquisas apontam os benefícios desta estratégia.
  8. Reduza a interferência dentro de um tópico– Se você confunde termos ou conceitos relacionados, pode ser que esteja experimentando interferências nas suas memórias para informações semelhantes. Para minimizar estas interferências da memória, divida o capítulo em seções que possam facilitar seu trabalho, então apreenda as informações essenciais de cada sessão. A medida que você encontra novos conceitos, compare-os com os conceitos aprendidos anteriormente, procurando semelhanças e diferenças. Se você construir memórias distintas para as informações importantes à medida que progride no assunto, terá maior probabilidade de distinguir os conceitos, evitando a confusão dos conceitos na memória.
  9. Reaja ao Efeito de Posição sequencial – se refere a nossa tendência de lembrar, de forma mais eficaz  a informação no início e no final de uma sequencia. Para lutar contra isso, dedique um tempo maior para a informação que fica no meio. Uma vez que você aprendeu uma sequencia  comece as revisões em pontos diferentes.
  10. Utilize as dicas” do contexto para estimular a sua memória– O ideal é estudar no local onde fará o exame. Caso não seja possível, quando estiver realizando uma prova, imagine que suas anotações estão na sua frente e você está sentado onde costuma estudar. Simplesmente imaginar o lugar onde você aprendeu a informação pode estimular essas memórias.                                                                                                                                                                                       Adaptado de Hockenbury, Hockenbury. Descobrindo a Psicologia, Ed. Manole. 2003.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *